Assine nossa newsletter e receba todas as novidades em primeira mão!

Como funciona a imigração na travessia Atacama – Salar de Uyuni!

Combinar a viagem ao Deserto do Atacama, no Chile, com a travessia para o Salar de Uyuni, na Bolívia vem sendo a escolha de muitos viajantes.

O mais legal nessa opção é que, além de poder explorar os dois países numa tacada só, você vai poder transformar o que seria um simples trajeto, em 3 ou 4 dias de aventura e paisagens surreais (sem exagero algum!). Me hospedei até num hotel de sal, porque não sou obrigada! Hahaha!

No meu caso, como explorar o Atacama era o foco principal, optei por fazer a travessia ida e volta (Atacama/Salar/Atacama), deixando outros cantinhos da Bolívia para a próxima trip pela América do Sul que já está sendo desenhada (todos digam amém, por favor!).

Como fomos e voltamos, tivemos que passar por ambas as aduanas duas vezes. Segue abaixo o relato de como foi nossa experiência e algumas dicas!

DE SÃO PEDRO DO ATACAMA À ADUANA CHILENA

Com a travessia devidamente contratada, um transfer foi nos buscar na nossa hospedagem. O primeiro trajeto seria até a aduana chilena.

Aduana chilena

A depender do horário que você chegue à fronteira, talvez seja necessário esperar alguns minutos, pois o acesso é bem rigoroso e feito aos poucos.

Fila de transfers para entrar na aduana chilena

ADUANA CHILENA

Quando sua van entrar na aduana, permaneça no carro e siga todas as instruções do condutor do veículo. Quando autorizado, desça com seus documentos (Passaporte ou RG e a Tarjeta Unica Migratoria emitida pela PDI), entre na fila e fique de bico calado evite fazer barulho. Quando entrei, o pessoal da van anterior estava levando um esporro uma leve chamada porque estavam conversando na fila. Não sei se é sempre assim mas, melhor não arriscar.

ADUANA BOLIVIANA

Saindo da aduana chilena, voltamos para a van e seguimos para a aduana boliviana que nada mais é que uma casinha simples no meio do nada.

Como chegamos um pouco antes, aproveitamos para tomar nosso café da manhã (praticamente todos os transfers oferecem) e já garantir nosso lugar na fila.

Fila de espera na imigração boliviana

A espera é ao livre e faz muito (muito, muito) frio, então, coma alguma coisa e já siga para garantir o seu lugar (na hora você vai lembrar de mim!). 

Esteja com seus documentos e certifique-se que o formulário da imigração boliviana está preenchido certinho. Uns gringos que estavam na minha frente preencheram os campos “nome” (nome) e “apellido” (sobrenome) errado e o  policial foi bem rude perguntando, em voz alta, uma meia duzia de vezes se eles não sabiam ler. 

No meu caso, dei um ‘buenos días, señor’, ele carimbou e me liberou em seguida. Outro colega da fila falou que ele foi cordial e o chamou até pelo nome. Vai entender, né?

DICA VC: Esse será, certamente, o dia que você vai passar mais frio na viagem. Então, saia muito bem agasalhado mas não esqueça de por uma roupa de banho por baixo porque é nesse dia que tomamos banho nas águas termais.

Termas de Polques

Atenção! VACINA FEBRE AMARELA

A Bolívia exige o Certificado Internacional de Vacinação contra a febre amarela desde 03/03/2017, conforme o Portal Consular do MRE. Não nos foi solicitado mas não dá pra arriscar. Então, se você ainda não providenciou o seu, clique aqui e veja todas as orientações.

febre amarela como emitir o certificado

De posse do mais um carimbo, agora, é seguir viagem para aproveitar essa travessia incrível! Deixamos o transfer para seguir viagem num 4×4.

DICA VC: Se você vai dividir o carro com 4 ou mais pessoas, suas bagagem vai embrulhada na parte de cima. Então, certifique-se que na sua mochila vai estar tudo que você vai precisar até o final do dia, que é quando as bagagens serão desembrulhadas.

Antes de seguir lendo as dicas, já deixa um like na nossa página do facebook pra ficar por dentro das novidades!

 

 

SAINDO DA BOLÍVIA

Depois de 3 dias de paisagens impressionantes, voltamos para o Atacama e tivemos que repetir todo o processo burocrático. Dessa vez foi muito mais tranquilo, pois só havia o nosso carro. O guia boliviano entrou na sala da Polícia Federal, depois veio nos buscar e, enquanto o guia papeava com os funcionários, entregamos os passaportes e pronto. Tchau, Bolívia!

ENTRANDO NO CHILE

Da fronteira boliviana, deixamos o 4×4 e pegamos o transfer para São Pedro do Atacama. Hora de passar pela aduana chilena novamente. Paramos o carro e ficamos esperando enquanto o nosso condutor foi solicitar a entrada. Já dentro do galpão, ele pediu para que ficássemos no carro enquanto ele pedia autorização para que saíssemos do veículo. Autorizaram, então descemos.

Levamos nosso passaporte para o funcionário da Polícia que nos entregou a Tarjeta Unica Migratoria (PDI). Na sequência, nossas malas e mochilas foram submetidas a revista, enquanto preenchíamos o formulário de imigração. 

Como estávamos entrando com um pacote de chá que havíamos levado de São Pedro mas não consumimos, declaramos no formulário e apresentamos a mercadoria para recebermos autorização de entrada. O policial verificou e permitiu que entrássemos com a embalagem.

IMPORTANTE: Vale ressaltar que o fato de você declarar a mercadoria não implica que você vai poder entrar com ela. Mas, se você não declarar e ele encontrar algo na sua bagagem, você provavelmente morrerá numa multa feroz e ainda perderá seu produto. Assim, antes de entrar novamente no Chile, dê uma geral na bagagem, veja se não sobraram frutas, sanduíches, castanhas, entre outras coisas.

SEGURO VIAGEM PARA CHILE E BOLÍVIA

Nem o Chile nem a Bolívia exigem a contratação de Seguro de Viagem obrigatório mas, é mais que aconselhável fazer um. É um gasto tão irrisório que vale a pena parar um pouquinho pra pensar e incluir esse custo no orçamento. É uma viagem de aventura, sim. Temos que ser cuidadosos, sobretudo quando há fatores como clima e altitude.Aproveite e já clique aqui ou na imagem acima para fazer uma simulação na Seguros Promo. Lá, eles fazem a busca pra gente em várias seguradoras, ficando mais fácil de contratar um serviço de qualidade, pagando mais barato.

HOSPEDAGEM NA BOLÍVIA

No nosso trajeto ficamos hospedados em dois hóteis, no Tayka – Hotel del Desierto, um hotel ecológico. E, no Salar, ficamos no Hotel Palácio de Sal. Ambos foram experiências bem diferentes.

HOSPEDAGEM EM SÃO PEDRO DO ATACAMA 

Em São Pedro do Atacama passamos por várias hospedagens, segue a lista:

  • Hostal Corvatsch: aqui funcionam hostal e hotel. Ficamos no hostal e achamos ok. Bem localizado, pertinho da Caracoles, banheiro limpo (fora do quarto), quarto quentinho mas sem café da manhã.
  • Residencial Chiloé: hostal e restaurante que funcionam no mesmo lugar. Bem localizado, pertinho da Caracoles, banheiro limpo (fora do quarto), com café da manhã bem simples. Caso vá fazer algum passeio cedinho, é só avisar na noite anterior que eles deixam um lanchinho.
  • Hotel Cumbres: nos demos um presentinho e ficamos nesse hotel de luxo maravilhoso. Fica a 1,3km da Caracoles mas eles possuem transporte com horário marcado.
  • Ckoi Lodge: o Ckoi tem uma pegada de fazendinha (eles têm llamas!) e fica a uns 800m da Caracoles. Fomos e voltamos andando. É um pouco escuro mas é de boa. O café da manhã é todo cuidadoso. O banheiro é no quarto e a ducha é ótima. Voltaria a ficar lá.

Outras opções, utilize a caixa de pesquisa abaixo e faça uma busca rápida para comparar os preços e avaliar a qualificação dada por quem já se hospedou.

LEIA TAMBÉM

Santiago do Chile|

Deserto do Atacama |

Salar de Uyuni |


Nos encontre nas redes: | FACEBOOK | INSTAGRAM | PINTEREST |  GOOGLE +TWITTERFrases de Viagem

Quer saber mais sobre nós? Clique aqui!


Aproveita e salva no Pinterest para consultar depois!

No Comments Yet.

What do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *